Viajando com os pequenos – Planejando Disney / Parte 3

Viajando com os pequenos – Planejando Disney / Parte 3

Não quero aqui entrar no mérito se você deve ou não viajar com seus filhos para Orlando. É claro que “pode ser mais fácil” viajar quando forem mais velhos, mas uma coisa posso afirmar: a experiência deles, e a sua, vai ser bem diferente de acordo com a idade deles.

Arrisco dizer que há dois tipos de crianças que vão a Disney: as “grandes” que realmente gostam e não tem problema nenhum em dizer (eu!) e as de verdade. Existem também aqueles que dizem “estou indo só levar as crianças”.  O que importa é que independente da sua “desculpa”, Orlando com certeza vai ter atrações para todas as idades.

Mas quais cuidados se deve ter ao planejar uma viagem com os pequenos e quais as principais dicas? Bom, vamos caso a caso.

– Hospedagem: como já disse, você paga pelo quarto e não por pessoa, portanto essa parte já está coberta. A maioria dos quartos em Orlando possuem 2 camas de casal, portanto se precisar de algo diferente, consulte o hotel para saber se está disponível ou considere um berço portátil para os que precisam de mais segurança.

– Transporte da família: seja alugando carro ou usando serviços como Uber/Lyft, a criança precisa de estar acomodada em um assento adequado, com cinto de segurança de acordo com as leis locais. No aluguel é possível pagar até U$10 por dia direto com a locadora, recomendo usar serviços terceirizados ou trazer seu próprio assento. No Uber/Lyft é possível achar carros com essa opção, se for usar outro tipo de serviço, verifique antes a política de acesso.

– Transporte do pequeno: considere, dependendo da idade da sua criança que um dia de parque pode ser muito cansativo, então esteja preparado(a) para carregar no colo, ou alugar um carrinho ou ainda usar o seu próprio carrinho. Caso precise, recomendo trazer o seu próprio, ou ainda pensar em comprar um novo, já que costumar custar bem barato. Não recomendo alugar, já que é bem mais caro, a não ser que precise em caso de emergência.

– Ingressos: até 2 anos, 11 meses e 29 dias anos fica fácil, não se paga ingresso. A partir de 3 anos, o ingresso é cobrado e custa um pouco mais barato que o adulto (entre 10% e 20%). Como eles verificam a idade? Pode ser somente no “olhômetro”, como podem pedir documento.

– Alimentação: não vou aqui abordar os planos de alimentação existente nos parques, que são pagos a parte, mas reforçar o fato de que é possível levar biscoitos, leite em fórmula, suplementos e outros tipos de alimento para os parques Disney e Universal. O SeaWorld tem algumas limitações, mas é possível verificar as regras no site de cada parque. Além disso, alguns hotéis tem promoções de café da manhã onde a criança é “grátis” com dois adultos e alguns restaurantes também oferecem a mesma opção.

Disney, Beautiful, Kid, Snow White

– Atrações: aqui um cuidado especial, entenda bem em quais atrações levar seu filho(a), cuidado com as mais “assustadoras” ou “radicais”. Entenda que cada atração tem recomendações na entrada e requisitos de altura. Respeite essas recomendações e a altura mínima de cada atração.

– Filas: imagine a situação, você, seu parceiro(a) e seu filho(a) na Disney, viagem dos sonhos, chega a hora de ir naquela atração especial, mas a altura mínima não permite e os dois adultos querem aproveitar, como fazer?  O nome é “child swap” e o processo é o mesmo em todos os parques. Um adulto entra na fila normal, enquanto o outro fica com a criança, ao ver um funcionário do parque, é só explicar a situação, o que vai acontecer é que o próximo adulto vai poder entrar depois na atração sem fila

– Atenção especial: por fim, mas não menos importante, basicamente todos os banheiros possuem local para trocar fraldas e todos os parques possuem uma área para atenção especial aos menorzinhos, que incluem cadeiras mais confortáveis para as mães amamentarem, mini cozinha com microondas e pia, cadeiras altas para alimentação, entre outros.